22 de set de 2009

Causos/1.

O dia em que eu conheci o enteado da puta.

Cara, vou contar. Todo mundo, mas TODO MUNDO MESMO, conhece algum filho da puta. Nesse caso, o filho da puta é aquela pessoa que não tem consideração por ninguém, que só faz merda com os outros. Ou seja: não é propriamente o filho de alguma mulher que se tornou profissional do sexo.

Mas uma noite aí de 2007, eu conheci o enteado da puta. Foi assim: Kylvia e eu fomos levadas pelo Daniel para uma festa de aniversário de 15 anos. Detalhe: não conhecíamos a Camila (aniversariante), mas isso foi o de menos. O próprio Daniel a conhecia há menos de 03 dias, então não achou que fosse um problema levar penetras.

A festa foi legal. Nos apresentamos à Camila como "as amigas penetras do Daniel, aquele que você conheceu ontem ou antes de ontem". Ela não se importou. Pelo contrário. Disse:
- Eu queria mesmo muita gente na minha festa!
Foi super simpática, tirou fotos com miss Kylvia e comigo e nos deixou à vontade.

Lá pelas tantas, decidimos pegar o beco (olha o cearês atacando!). Traduzindo: decidimos ir embora. Após um tanto de blablabla e outro tanto de espera, conseguimos uma carona até o bairro vizinho, onde acontecia outra festa de aniversário - de um amigo do Paulinho (irmão da Kylvia).

Pela hora em que chegamos, já encontramos todo mundo mais pra lá do que pra cá. Só algumas poucas almas permaneciam sóbrias.

Em poucos minutos, estávamos de papo com mais dois amigos do Paulinho. A Kylvia conversava com o Júnior e eu com o Orlando. Em determinado momento, eu a ouvi dizer:
- Ah, com certeza a Taty sabe! É lógico que ela sabe!... Pode perguntar a ela!
- Eu sei o que?


Aí, o Júnior me respondeu:
- Olha, tu já viu aqueles anúncios de acompanhantes nos classificados?
Respondi:
- Vejo sempre! Toda vez que eu pego um jornal, sempre dou uma olhada nessa seção!
- Ah, e tu já reparou num anúncio que é assim: "Alana, 10 reais: barato porque gosta do que faz"? Já viu esse?

Eu disse que "sim" e ia até comentar que tinha achado que era um anúncio criativo, diferente, mas ele me interrompeu e desabafou:
- Pois é da mulher do meu pai!
- Sério? Mas como é que tu sabe?
- Ora, a notícia se espalhou!! Eles vivem brigando e um tempo desses, meu pai colocou a mulher pra fora de casa. Aí, ela botou esse anúncio e alguém viu e soube que era ela, porque ela não fez a menor questão de mudar o número do celular. E depois, o meu pai fez as pazes com ela, mas ela não parou de colocar o anúncio.
- E teu pai?
- Ah, aquilo ali nem liga mais. Os filhos todos já falaram, mas ele continua com ela e volta e meia eles têm mais um arranca rabo. Depois, fazem as pazes. Como é que pode, rapaz, meu pai continuar com ela sabendo de uma coisa dessas?


Na hora, eu não disse nada. Fiquei só pensando que, se o pai dele fosse esperto mesmo, não ia briga por esse motivo: podia era agenciar a mulher.

Depois disso, acho que não tornei a ver o Júnior, mas se hoje o reencontrasse não creio que fosse comentar que ele sempre é citado por mim como "o enteado da puta".

Nenhum comentário: