17 de mar de 2010

Baú do blog/06.

Ê saudade das aulas na FIC!
Mais um texto do meu antigo blog... ;p

Na sexta-feira, eu fui fazer prova. Fui nervosa, pra variar. Mas acima do nervosismo, estavam o sono e o mal-estar (há dias uma gripe fdp tenta me pegar...).
Na noite anterior, tive uma crise de insônia. Uma “daquelas”. Lá pelas 21h, eu estava morrendo de sono e fui dormir. Mas um telefonema me acordou. Aí, tentar dormir de novo foi em vão. Tive que pedir um remédio pra mama...

Quando cheguei, o professor tava ocupado. E quando consegui falar com ele, me deu vontade de rir: ele não sabia que eu ia fazer prova!
“Não fui avisado... E agora, o que a gente faz?”
Eu fiquei com aquela cara de pastel, mas minha vontade era dizer:
“Qualé, Alejandro? Me libera... Tenho nota pra passar... Fiquei de AF por causa de uma falta só...”.
Mas... Não é algo que eu diria.

Então, depois de ver minha cara de pastel, ele sugeriu que eu fizesse um texto sobre algum assunto que a gente estudou nesse semestre. Escrevi sobre “manipulação da informação”. Aliás, não podia escolher outro assunto – essa coisa de manipular informações me fascina...

Quando terminei, ainda pensei em escrever um “p.s.” de algo que queria discutir com ele (Alejandro), mas deixei passar. Vou mandar por e-mail mesmo.
E o que eu queria discutir era: se alguém escreve sobre algo do qual sabe pouco e o texto sai até razoável, isso é mediocridade ou inteligência?


Hoje, eu diria que isso é uma 'esperteza safada'. E mais: diria também que tenho medo do que eu poderia ser se chegasse a me tornar realmente jornalista... :~

12 de mar de 2010

Agora ou nunca.

25 anos, um quarto de século.
Preparo-me agora para mais um ano:
um quarto de século mais 01 = 26!
E preparo-me também para inaugurar mais um blog.
É um projeto, na verdade, em forma de blog.
Precisarei de sorte, de inspiração e de internet em casa, hehe.
É isso, é hora de escrever e ver no que dá. É agora ou nunca.

Nulla dies sine linea! - aí vou eu!!

Retorno/02.

Foi bom ter ido à Fortaleza. Foi bom rever os amigos e rever Guaramiranga durante o Carnaval.
Consegui comer pratinho na pracinha ao lado do Cefet, tomei sorvete da Pardal e fui beber no bom e velho Pitombas, onde, como era de se esperar, derramei cerveja - na mesa, em mim mesma e nos outros (benzadeus!).
Aliás, posso dizer que fiz uma parte da rota etílico-turística que pretendia fazer no Benfica: fechamos 02 bares - Goiabeiras e Pitombeiras e passamos por mais dois - o tradicional Assis (que estava meio decadente) e o moderninho Benfica Bar.
Minha mãe continua louca e eu tenho a certeza ABSOLUTA que a convivência com ela novamente seria e é IMPOSSÍVEL. E olha que é difícil eu ter certezas absolutas.
Um dia eu preciso contar num livro sobre as coisas que minha mãe fez/faz, disse/diz. Preciso exorcizar meus fantasmas. É uma coisa. Todos que escutam, acham graça. Eu não vejo graça, mas conto, para me aliviar.
É, foi bom ter visitado a terra natal, mas foi um alívio voltar ao Rio. E tenho dito.