18 de dez de 2008

Rio, aqui vamos nós!

Há alguns dias, Dudu e eu conversamos e chegamos a mesma conclusão: a maré em Fortaleza não está pra peixe.
Enquanto continuamos nos gostando, nos querendo e desejando rodar pelo mundo juntos, Fortaleza não nos ajuda nem a sair da casa da minha mãe...
E tem dias... Tem dias que bate um desânimo.
A minha mãe nunca vai deixar de ser minha mãe, mas a convivência com ela já foi mais que suficiente. Ela já me deixava louca e com o tempo, isso se tornou um dos motivos pra eu querer sair de casa.
Era a paranóia com segurança e roubos (na casa antiga, ela dizia que a vizinha roubava água), era o falar mal de pessoas que eu gostava e sem motivo... E tanta, tanta coisa que eu precisaria de várias postagens pra explicar e realmente não tô a fim (agora), pois falar nisso me deixa nervosa e me dá agonia.
E me dá mais agonia ainda quando eu penso que ela não vai mudar. E que se perder o apartamento onde moramos agora, vai dizer que a culpa foi minha - afinal, ela sempre acha mais fácil jogar a culpa em alguém. Todo condomínio tem regras e nesse não é diferente. Se você não segue as regras, é convidado gentilmente a se retirar - e mais: sem que tudo que você já pagou seja devolvido. Mas parece que a mãe faz de birra, de implicância... Deixa roupa na janela e quando recebe notificação, fica se fazendo de vítima. Raiva... Isso me dá muita raiva. E o Dudu sabe disso porque ele também não se sente bem com muitas coisas que ela fala e faz.

Enfim... Voltando ao assunto inicial:
Eu tenho emprego agora, mas o Dudu não. Eu não veria problemas em sustentar sozinha a casa, até que ele arranjasse algo, mas não ganho o suficiente pra pagar as contas, comer e alugar um buraco qualquer. Tudo nos levou a decidir que o melhor é voltar. Já cancelei o dentista, hoje vou cancelar o plano de saúde e daqui a alguns dias, a Internet. Falta eu avisar no trabalho também, mas acho que amanhã mesmo falarei.

Ter voltado pra Fortal não foi um desastre absoluto. Deu pra aprender coisas legais no trampo, por exemplo. Embora, eu tenha apanhado do Corel e do HTML rsrs... ¬¬ Deu pra rever boa parte das pessoas que gosto e sair com elas. Deu pra curtir um pouco os lugares que me faziam falta.
Mostrei a cidade pro Dudu, ele provou o creme de galinha da mãe, conheceu serra (Guaramiranga), praia (Icaraí e PF)... só faltou o sertão (Quixadá era a opção) e as famosas Jeri e Canoa. Mas tudo bem: fica pras férias. ;)

Dia 28/12, às 10 horas, o bus sai em direção ao Rio e nós saímos com a esperança de que as coisas vão dar certo por lá.

Lucky for us!

17 de dez de 2008

Boa menina.

Neste ano, eu fui uma boa menina.
Só boas ações e bons convites fizeram parte da minha trajetória!

* Ameacei sair pelada de motel;
* Peguei carona num caminhão de lixo;
* Viajei com alguém que só conhecia pela net (de novo);
* Tomei um porre e apaguei na hora mais indevida;
* Levei vômito no pé enquanto cuidava de bêbado;
* Aliás, essa noite cuidando de bêbado rendeu...;
* Fui convidada pra ser atendente de cabaré - "você só vai servir cafezinho, hehe".
* Aprendi um pouco da malandragem carioca...
* Convivi com a louca Dona Helena e não fui esfaqueada!

Mereço um bom presente. Mesmo. :p

Detalhes? Só se você for o Papai Noel!! hohoho.