19 de nov de 2009

Poeminha/27.

Só você me faz perder
A rota do meu coração
Mares nunca dantes navegados
Esses de amor bravio
Conto estrelas ao seu lado
Não me preocupo com o caminho
Para meu navio ancorado
Pensei que não havia jeito
E agora a todo vapor
Ele vive dentro do meu peito.

Novembro/2006.

18 de nov de 2009

Poeminha/26.

De porto em porto
Sem cessar
Eu procuro meu lugar

De vez em quando
Por cansar
Até penso em ancorar

De canto em canto
Meu penar
Se estende com pesar

De porto em porto
Eu vou sem par
À procura de um lar.


TF* - Março/2006.

10 de nov de 2009

Poeminha/25.

Anseio ver teus lábios dizendo meu nome
Provar teu gosto de homem
Numa farra maliciosa de sentidos
Fazer poses só pra ouvir tua voz
Ao pé do meu ouvido
E ver teu rosto esculpido em forma de prazer,
Querer mais!
Sequer sei qual é teu cheiro
E isso me tira a paz.


TF* - 2003.

9 de nov de 2009

Mudanças/3.

Foram 07 meses e alguns dias de risos, crises de raiva e conversas divertidas e hoje eu (finalmente!) fui demitida.
Juro que não fiquei triste. Quando a Ilca me chamou para assinar o aviso prévio (que será cumprido em casa, uf!), ela estava com cara de enterro, eu estava sorridente - e fiquei mais ainda depois que ela disse que ia me demitir.
Claro que Suellen, Ilca, Viviane, Leandro e todos os outros farão falta. Claro que eu vou sentir falta de conversar com Suellen no Yahoo messenger ou de fazer a Ilca rir com minhas histórias loucas. Mas... fazer o que?

Nessa tarde, recebi um telefonema me convidando para uma entrevista amanhã em outra empresa. O salário é o mesmo, mas com a vantagem dos benefícios (adicional noturno, plano de saúde e convênios com faculdades). Vamos ver no que dá.

Uma observação: bom que me demitiram nessa época de final de ano. É um ótimo período para procurar empregos na área de Turismo, hehe.
É isso. Mais uma mudança... Vamo que vamo!

6 de nov de 2009

Quase moribunda.

Vou resumir os últimos dias, afinal estou num cyber e tenho pouco tempo disponível.

Nessa semana, eu peguei conjuntivite e gripe - ao mesmo tempo!

Tudo começou na terça, dia 03, quando eu estava no trabalho, falando com nosso futuro funcionário, o Bruno. Eu notei que meu olho direito estava com uma secreção (leia-se remela gigante!) e limpei. Depois de 02 minutos, senti o olho sujo outra vez, limpei e comentei com o Bruno:
- Acho que estou com conjuntivite!
Ele riu, mas eu disse que era sério. E depois suspirei:
- Estou com conjuntivite! Oba! Vou passar uns dias em casa! \o/

Gentem, que apelação... Vontade de ficar em casa a qualquer custo!! Haha.

Saí do trabalho e meu olho ficou pior e pior. Daí, quando eu cheguei em casa, o Dudu já tinha comprado soro e eu fiquei limpando o olho com a substância. Depois, Dudu fez um tapa olho pra mim com algodão e fita crepe e eu fiquei parecendo um projeto de pirata caolho. Por fim, eu dormi, cheia de dores inexplicáveis pelo corpo todo. Quer dizer, dormir é apelido, pois eu acordei no meio da noite e assim fiquei, por umas 03 horas. Depois: dormi, acordei, dormi, acordei... E aí, já era manhã, decidi que não ia tentar adormecer novamente. Que bosta de noite! Pior que não ter dormido bem foi notar que a conjuntivite tinha passado para o olho esquerdo! Cegueira!! AHHHH!

A quarta (dia 04) foi isso: fui ao posto médico no Catete (bairro vizinho) para conseguir atestado - sem consultas; fui a Botafogo - sem oftalmologista; fui ao Hospital Sousa Aguiar, perto da Central do Brasil - depois de 1h e meia, consegui a consulta e um atestado. Gentem, odeio não ter plano de saúde, odeio hospitais, odeio estar doente, mesmo que isso me garanta folga no trampo. Cheguei em casa com as mesmas dores da noite anterior. Aliás, as dores duraram o dia todo. Só tarde da noite é que falei para o Dudu:
- Será que é febre?
Ele perguntou se eu estava com frio. Eu não estava. Mas afirmei que poderia ser uma espécie nova de febre, uma febre interna. A essa altura, acho que eu já estava delirando... Ele veio com o termômetro e... Bingo! Era febre de 38°. Tomei um remedinho, melhorei e não morri (mas quase!!).

Mais um dia - quinta (dia 05): os olhos melhoraram, então eu saí (com óculos escuros, que depois acabei tirando), fiz as compras do mês (odeio!!) com Dudu, cheia de cansaço (sei lá do que, pois tinha ficado o dia todo em casa ha-ha). Mais tarde, a Ilca (do departamento pessoal) me ligou para saber se eu estava viva e respondi:
- Estou viva e reino (citei meu caro amigo Hil).

E viva continuo e até vim hoje no cyber, checar meus e-mails e tudo mais, pois eu não vivo sem internet, hehe. E essa é a história da minha vida. --> Até agora.

.