28 de mai de 2010

Mudanças/04

De um e-mail enviado hoje para Roger:
"Vou me mudar. Estou com uma dor no peito. Não só por deixar o Rio. Quer dizer, eu gosto da cidade, mas isso nunca me impediu de ter vontade de deixá-la. A dor no peito, eu acho que é pela falta de ânimo, pela vontade de não ir mesmo, embora essa seja a decisão mais sensata, mais viável, mais correta, mais... saudável (?). Eu vou para uma cidade no interior do Paraná, chamada Telêmaco Borba, onde ficarei por cerca de 03 meses, talvez 04. O que farei lá durante esse tempo? Sobreviverei? Fugirei de casa? Contarei os dias para voltar? Virarei travesti (!!) de uma casa de shows na beira da estrada? Apostadora contumaz da Mega Sena? Eu aposto em qualquer opção, menos na otimista - aquela que diz que tudo lá será o máximo, que eu vou preencher muito bem o meu tempo e que eu vou A-DO-RAR morar lá, ainda que por pouco tempo. Acho que deixei esse tipo de pensamento no casaco do inverno passado. :~ ".

Esses dias, estive conversando com a Suka e ela me deu um 'toque' sobre o assunto. Ela me incentivou a ir, disse para eu não me enganar, pois cidades do interior também podem ter alternativas e etc etc. Eu sei que a intenção foi boa. ;) Ela me botou pra pensar sobre o assunto e, como as opções eram escassas, decidi ir.

Então, a partir dessa decisão, eu comecei a escrever uma lista de coisas que poderei fazer em Telêmaco:

01. Cuidar do maridon (!).
Eu não cuido direito nem de mim, sério. Não tenho bichos de estimação e nem plantas porque sou incapaz de cuidar deles - vide meus finados peixes, por exemplo. Então, o maridon será minha nova cobaia. HuaHuahAuhuA! (risada malévola).

02. Cuidar da casa.
Varrer, passar o pano, passar as roupas, cozinhar, lavar a louça... etc etc etc...

03. Emprenhar.
Nem nesta nem em outra vida. E tenho dito.

04. Escrever um romance.
Tanto tempo livre... Por que não iniciar um romance? Quem sabe vira best seller? O nome será "O ócio criativo". Opa... Acho que já existe...

05. Escrever um ensaio sobre Spinoza.
Acho que é melhor eu tentar Nitinho (modo carinhoso ao qual me refiro a Niestzche), de quem li pelo menos 02 (?) linhas.

06. Arrumar uma lavagem de roupa.
Opa. Isso deveria estar incluído na opção 02, né?

07. Opção incógnita.
"Mel dels, Taty" - diz meu alter ego, "pare com essa lista e vá para o google pesquisar o que tem pra fazer por lá. Talvez não preencha 03 meses, mas você pode preencher 01 mês e hibernar o restante, que tal?".

É isso. Mais uma mudança... (suspiro). Vou pensar em mais opções para minha lista.

11 de mai de 2010

Casamento/03

O que é casamento?
Bom, eu não acho que exista uma resposta exata.
O que eu sei é que casamento não é apenas anel no dedo e papel passado. Casamento também não é só cerimônia cheia de convidados e comes e bebes.
Mas todas essas coisas podem fazer parte - ou não - de um casamento. Há quem opte por elas e há quem não se importe com isso.
O casamento começa com uma escolha: quero ficar com você.
Não importa quão longe possamos estar um do outro ou se moramos em casas separadas, pois se não é tradicional, não significa que deixa de ser um casamento. Tudo depende das decisões, das escolhas que fazemos logo após a primeira da qual falei. E essa primeira decisão, penso eu, nunca deixará de ser a mais importante.
Casamento também é negociação, embora eu confesse que sou uma péssima negociadora. Mas bem, eu sei que casamento também é negociar porque esse é um momento de negociação para nós. E sei que estou negociando por causa de uma boa oportunidade. Estou com os olhos no presente, mas também (muito) no futuro.
Independente do que decidirmos nesta negociação, minha primeira escolha ainda está de pé: Luís Eduardo, quero ficar com você.